Notícias

« voltar

Taxas de títulos do Tesouro Direto sobem com aumento da aversão ao risco

25/09/2019

Os retornos oferecidos pelos títulos públicos negociados no Tesouro Direto, programa que possibilita a compra e venda de papéis por investidores pessoas físicas por meio da internet, apresentam alta manhã desta quarta-feira (25), diante de maiores incertezas nos cenários internacional e doméstico.

No exterior, o anúncio da abertura do processo de impeachment na Câmara dos Representantes contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, gera aumento de aversão ao risco dos mercados, que é marcada ainda por retrocessos nas negociações comerciais entre chineses e americanos. Foco ainda na fala de dois presidentes regionais do Federal Reserve, o banco central americano, Charles Evans (Chicago) e Esther George (Kansas).

No Brasil, investidores repercutem negativamente o atraso na tramitação da reforma da Previdência. De acordo com a presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ), Simone Tebet (MDB-MS), a votação acontecerá apenas na semana que vem.

Com juros na mínima histórica e projeções ainda menores para a Selic até o fim do ano, como ficam os retornos dos investimentos em renda fixa e como o investidor conservador pode aplicar seu dinheiro? O InfoMoney conversou com especialistas do mercado para entender quais as alternativas com Selic a 5,5% ao ano. 

No Tesouro Direto, o papel indexado ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) com vencimento em 2024 pagava uma taxa anual de 2,70%, ante 2,62% a.a. na abertura de terça-feira (24). O investidor podia adquirir o título integralmente por R$ 2.845,65 ou aplicar uma quantia mínima de R$ 56,91 (recebendo uma rentabilidade proporcional à aplicação).

Os títulos com prazos em 2035 e 2045, por sua vez, pagavam prêmio anual de 3,52%, ante 3,46% a.a. anteriormente.

Já os títulos com rendimento prefixado, como o com prazo em 2022, oferecia retorno de 5,67% ao ano, ante 5,59% a.a. na véspera, enquanto o retorno do título com vencimento em 2025 avançava de 6,72% para 6,82% ao ano.

Baixo risco, liquidez e acessibilidade

O Tesouro Direto é considerado a opção de investimento com o menor risco no Brasil e com ampla acessibilidade, dado o investimento mínimo a partir de R$ 30. Outra vantagem do programa diz respeito à liquidez, com a possibilidade de recompra diária dos títulos públicos pelo Tesouro.

O investidor pode aplicar em títulos públicos diretamente pelo site do Tesouro, se cadastrando primeiro no portal e abrindo uma conta em uma corretora, como a Rico Investimentos, por exemplo, para intermediar as transações. Atualmente, a maior parte das instituições financeiras habilitadas a operar no programa não cobra taxa de administração.

O único custo obrigatório que recai sobre o investimento em títulos públicos pelo Tesouro Direto corresponde à taxa de custódia, de 0,25% ao ano sobre o valor dos títulos, cobrada semestralmente no início dos meses de janeiro e de julho.

 

Fonte: Infomoney

CONHEÇA A
MONGERAL AEGON

+

DÉBITO AUTOMÁTICO

+

CORRETORES CREDENCIADOS MONGERAL

+

EDUCAÇÃO FINANCEIRA
E PREVIDENCIÁRIA

+

VÍDEOS INSTITUCIONAIS

+

OUTROS TELEFONES DE CONTATO

+